segunda-feira, 3 de março de 2008

Ideologia: NÃO quero uma pra viver!

Perdoe-me Cazuza, mas desta não posso concordar! Talvez nem precise descordar, porque no fundo sempre achei ironia o que ele cantava com tanta força! Mas se é ou não, agora não sei. O que sei é que estou no caminho oposto de quem procura essa tal idéia pra se viver!

Tomei consciência do que é a ideologia e julguei melhor não tê-la. É claro, muitos dirão que eu tenho a ideologia de “não ter uma”. Mas não, não é bem assim... A ideologia, conforme o dicionário é um (...) sistema organizado e fechado de idéias que serve de base (...). Ou seja, não há porque duvidar que ideologia são pensamentos parciais. E porque? Porque quem formular uma ideologia, vai formular o que lhe convém. Exemplificando: existiria na ideologia antiga de um burguês a possibilidade de se arrecadar lucro para a monarquia? Não, é claro. Pois então, a visão é dividida aos interesses e não a realidade, como deveria ser. Porque o burguês quando formulou a sua pensou em si, e não nele e na monarquia, nem nos servos e muito menos nos escravos.

Além do que a ideologia só existe se o pensamento for comum, ou seja, mais de uma pessoa pensar daquela maneira. Se não, deixa de ser ideologia e passar a ser ou seu pensamento próprio. E sendo um pensamento comum, generaliza e excluí. E ainda pode ser facilmente manipulado. O que é pior: forma seres alienados!

Sendo assim, decidi por mim mesma não seguir nada pré-escrito e refletir por mim mesma, ser livre para pensar o que eu quiser pensar, julgar como eu achar melhor e assim formar minha consciência e não copiar. Nada pessoal contra os ideológicos, mas Cazuza já morreu, o tempo não parou e muitas das ideologias passaram. E a moda agora é pensar com a própria mente!


Inspiração: Dever de Filosofia e ♫ Eric Clapton - Change the world/Heavens Door ♫

PS.: Não foi minha intenção ofender ninguém ok? Porque gosto muito de Cazuza também, e adimiro quem pensa diferente de mim, melhor assim do que pensar nada, não é?

6 comentários:

Leandro disse...

Também não tenho ideologia e nem procuro uma. O que eu faço é procurar entender as coisas e escolher as que mais gosto e a que me convém. Sou de ficar querendo convencer ninguém a ter um pensamento igual ao meu, apenas apresento meus argumentos, o acho que é certo e o que é errado, o resto é com a pessoa, cabe a ela decidir se passa a pensar do mesmo modo que ou não.
Prefiro ser livre para fazer minhas escolhas e por isso, o que hoje eu penso que o certo, pode mudar para errado amanhã. Não sou fã de Cazuza e não curto muito o pouco que conheço dele, as idéias dele. Prefiro o Raúl Seixas. Prefiro ser essa metamorfose ambulante, renovando meus pensamentos e as minhas idéias.
Que bom que você voltou! Pensei que você tinha parado com o blog.
Beijão

Felipe disse...

Hmm eu discordo de ti, Rafaela.
Como o dicionário disse, serve de base. Certas idéias servem de base. Essas idéias que são fechadas (e conseqüentemente não serão mudadas).

Exemplo: uma das ideologias que eu sigo no âmbito da violência é a de só usar a violência se alguém a usa contra mim ou ofende profundamente alguém que eu ame. A base dela é essa: não bater em alguém por pouca coisa.

Pouca coisa eu defino como TUDO exceto essas 2 coisas: ofender profundamente alguém que eu ame ou bater em mim. Essa é a ideologia, a base.

Agora, outras distorções provenientes de outros tipos de ideologia são apenas distorções, ou fanatismo.

Entendi teu ponto, mas pra mim, a ideologia é fechada, sim, mas o que é fechado é só a base, apenas ela. E têm gente que confunde a base com as distorções.

Stephanie Evaldt disse...

Tá certo, as pessoas querem deixar de lado as coisas "planejadas" e viver a vida de um jeito mais momentâneo, digamos assim, que aproveitem todos os momentos e coisa e tal...
Mas me diz se a vida não é menos "complicada" e mais fácil de ser vivida quando se tem um "plano"?
Acho que ideologia é algo ligado com princípios...Sei lá, quem sabe eu esteja confundindo as coisas já.

Beijo, gostei bastante do texto, após taaanto tempo sem postar né?

Faber disse...

Para Marx, a ideologia pode ser considerada um instrumento de dominação que age através do convencimento, alienando a consciência humana e mascarando a realidade. Marilena Chauí pensa que a ideologia é um mascaramento da realidade social que permite a legitimação da exploração e da dominação. Por intermédio dela, tomamos o falso por verdadeiro, o injusto por justo.
Ainda assim me questiono se é possível viver acima de qualquer ideologia. É que penso que as ideologias também servem para defender idéias justas, verdadeiramente verdadeiras. As contra-ideologias são saudáveis. O combate às ideologias dominantes e geralmente injustas, é importante. E só se combatem idéias com idéias.

dia vida disse...

Muito bacana!
Penso da mesma forma, aliais eu descobrir seu blog pesquisando no google algo sobre o assunto. O radicalismo ideológico para mim, é o um bloqueio, talvez radicais a este ponto acabem preso a uma idéia e um mundo somente, e experimentam muito pouco!
Tenho um Blog também e se vc me permite vou colocar o seu blog onde eu visito!
http://luansolelua.blogspot.com/
bjos!

Rafaela Marinho disse...

Adorei os comentários! Me abriu para novos pensamentos! Pode ser que não ter ideologia nenhuma seja realmente impossível...
Brigada! Beijos!

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin